Facebook
Twitter
Ouvidoria
Youtube

Equipe da Educação Inclusiva faz visita técnica na Escola Charlotte

Data de inclusão 25/09/2014 16:39

A equipe da Educação Inclusiva, da Secretaria de Educação de Itapema, realizou uma visita técnica a Escola Charlotte (Associação de atividades Psicofísicas) de Brusque, nessa quarta-feira (24/09). Participaram da atividade professores regentes, professores auxiliares, articuladoras, orientadoras e professoras do Atendimento Educacional Especializado. A equipe pôde conferir de perto a diversidade de opções para o trabalho com crianças com Síndrome de Down, além de conhecer o espaço e conversar com a fundadora e Diretora Bernadet Rocha.

A Escola Charlotte desenvolve o método de reorganização neurológica em crianças e adultos portadores da Síndrome de Down, Síndrome Asperger, Síndrome de West, Síndrome de Tourette, Autismo entre outras dificuldades. A Diretora da Escola Charlotte, Bernadet Rocha, contou sobre o início da escola e suas descobertas. “O chão é o nosso campo de treinamento. O ser humano criado no chão desenvolve suas seis inteligências da competência manual a mobilidade, audição, visão linguística e verbalizada, tato e a competência manual”, afirma a Diretora.

Charlotte é o nome da filha de Bernadet, que em 1985 nasceu portadora da Síndrome de Down. Foi quando a luta de Bernadet começou, “Fui em busca para aprender sobre o desenvolvimento do ser humano e o que aprendia colocava em prática com Charlotte”, contou a mãe aos profissionais de Itapema. Os bons resultados de Charlotte começaram chamar atenção das pessoas, e em 1990 surgia a Escola Charlotte oferecendo tratamento gratuito para a comunidade. Hoje a menina Charlotte Rocha Bork tem 28 anos e trabalha na escola junto com sua mãe sendo exemplo com sua história de superação. “Vê-los incluídos no contexto da vida, na educação regular, no trabalho e na vida familiar é o nosso objetivo. Trabalhamos e lutamos pela inclusão deles no meio social”, relata a Diretora.

"A visita técnica na Escola Charlotte nos emocionou muito, vimos o quanto o trabalho de estimulação corporal é importante para contribuir com o desenvolvimento intelectual da criança desde bebê. Particularmente falando, o município de Itapema já está abrindo portas para grandes projetos", contou a Coordenadora de Educação Inclusiva, Marisângela Gonzaga.

A Diretora de Educação Inclusiva, Maria da Graça Evaristo, agradeceu e parabenizou a Diretora Bernadet que recebeu toda a equipe com muito afeto. “Bernadet, uma mulher e mãe guerreira, que foi em busca de seu compromisso e responsabilidade para ajudar sua filha. E hoje contribui nos trabalhos com outras crianças. Tudo isso pela sua dedicação nos estudos e pesquisas sobre como trabalhar com a Síndrome de Down”, declarou a Diretora Maria da Graça.